BrejinhosNet

BrejinhosNet - Assistância Técnica

Rua Rosalvo Novais – Centro – Oliveira dos Brejinhos (BA)
CEP: 47530-000 - Telefones: (77) 99914-1564 – (77) 99982-0760
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.Site: www.brejinhosnet.com.br


FUNCIONAMENTO

  • Agende seu serviço. Não atendemos à noite, aos domingos e nos feriados;
  • Por gentileza, observe os horários e dias comerciais;

RECESSO: CARLOS DOURADO

  • Recessos: 01 a 31 de janeiro e 15 de junho a 05 de julho;

RECESSO: CLAUDINEI NOGUEIRA

  • Recessos: 24 de dezembro a 01 de janeiro, 27 de junho a 02 de julho e 01 a 28 de fevereiro;Nesses períodos, não realizamos qualquer tipo de serviço. Por favor, não insista!

SERVIÇOS

  • Instalação e configuração de sistemas Windows e Linux;
  • Configuração básica de servidores;
  • Configuração, montagem e manutenção de redes cabeadas e sem fio;
  • Limpeza de impressoras;
  • Confecção e teste de cabos de rede;
  • Configuração de roteadores;
  • Encomenda de componentes e peças (pagamento à vista);
  • Backup e recuperação de dados;
  • Consultoria: compra de equipamentos, ideias para sua empresa, orçamentos...

TABELA DE PREÇOS

Instalação e configuração de sistemas Windows e Linux R$ 40,00

Manutenção preventiva e corretiva (limpeza de sistemas)R$ 30,00

Configuração básica de servidoresR$ 50,00

Configuração, montagem e manutenção de redes cabeadas e sem fio → R$ 30,00

Limpeza de impressoras  → R$ 20,00

Confecção e teste de cabos de rede → R$ 5,00

Configuração de roteadores → R$ 20,00

Taxa de encomenda de componentes e peças (pagamento à vista) R$ 5,00

Backup e recuperação de dados (quando concluído)R$ 20,00

Taxa de visita e atendimento em domicílio R$ 5,00

Cabo de rede (metro) R$ 2,00

Consultoria: compra de equipamentos, ideias inovadoras, orçamentos... a combinar

Carlos Dourado Claudinei Nogueira

Técnicos Responsáveis


Eu & Linux

Quero compartilhar minha experiênia com o uso do Linux.

Neste momento, estou usando a versão 17.1 do Linux Mint Cinnamon, de 64 bits.

Experimentei várias distribuições no decorrer do tempo e, por enquanto, decidi parar no Mint por vários motivos que descreverei na sequência. Após instalar o sistema, faço algumas modificações e acrescento alguns pacotes que utilizo no dia a dia. 

- GPRename - Renomear arquivos em geral
- Screenlets Pack All - Gadgets da área de trabalho -
- GoldenDict - Ferramenta de Gerenciamento de Dicionários (É necessário instalar os dicionários)
- Blueman - Geranciador de Bluetooth
- Blue Fish
- Aplicativo para escrita de códigos PHP, Java, HTML...
- Gnome-nettool
- Ferramentas para gerenciamento de rede em modo gráfico.
- GCompris - Jogos educacionais
- Tux Paint - Ferramenta de desenho
- FF Multi Converter - Conversor de arquivos e mídias. (requer instalador off-line)
- GLabels - Ferramenta para confeccionar cartões
- GnuCash - Aplicativo para geranciamento financeiro
- Osmo - Agenda com calendário e calculadora de datas integrados
- Ntfs-config -Ferramenta para montagem de partições ntfs na inicialização do sistema.
- GParted - Gerenciador de partições
- Samba - Ferramenta para compartilhamento de arquivos e impressoras entre Linux/Windows
- Guake - Terminal de comando em modo avançado
- Cairo - Barra de atalhos no estilo Mac
- Dolphin - Gerenciador de arquivos do KDE
- I-Nex - Informaçoes do Sistema. Não é instalado pelo Gerenciador de Aplicativos.
- K3B - Gravação de mídias, estilo Nero.
- Picasa - Gerenciador/editor simples de Imagens
- GwenView - Gerenciador de imagens
- InkScape - Ferramenta para desenho vetorial
- KSnapshot - Captura de tela
- Shotwell - Editor/Visualizador de Imagens
- Xsane
- Photoprint
- aMSN
- Frostwire
- Google Chrome
- Google Earth
- Steam
- DJL
- PlayOnLinux
- Gnome-games
- Audacious
- Cheese
- Clementine
- Devede
- Guayadeque
- Imagination
- Minitube
- Musique
- Open Shot
- Sound Juice
- Winff
- Wine Continua...
Boa tarde! Ao abrir um browser, às vezes nos deparamos com a falta de determinados plugins necessários para exibir a página de forma completa. Dentre os mais requisitados está o Flash Player da Adobe. Este link é interessante para que você teste e saiba a versão do plugin em uso bem como se o mesmo está instalado. É só clicar em:

E seja feliz!

ENTRE A CONSTITUIÇÃO E A JUSTIÇA

Às vezes, pergunto-me de forma solitária e solidária também, pois sei que muitos realmente sofrem preconceitos. Mas, a despeito do preconceito, não seria também falta de respeito desrespeitar a Constituição, Lei Maior? Ou é maior a esperteza da nobreza que se esconde atrás de besteiras como chamar alguém de negão? Ora, negão sou eu mesmo, e com prazer, porque maior do que ser negro é o prazer de viver. Se tem prazer de viver, uma casa para morar, uma família para cuidar, um remédio para tomar, um emprego para ir, uma universidade para estudar, me diga: é necessário discutir racismo? Bem-estar não tem cor, nem dor, nem é gay. Negro é o salário que as "minorias" (na realidade, MAIORIAS que a esperta mídia oficial ignora) recebe. Recebe, não: entrega, pois para nada dá, a não ser para entregar para os credores, Então, entre racismo e intolerância, por que não discutir o Salário Mínimo tal como está na Constituição? CONSTITUIÇÃO DE 1988 Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia Nacional Constituinte para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL.
Art. 7º São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que visem à melhoria de sua condição social:
IV - salário mínimo, fixado em lei, nacionalmente unificado, capaz de atender a suas necessidades vitais básicas e às de sua família com moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social, com reajustes periódicos que lhe preservem o poder aquisitivo, sendo vedada sua vinculação para qualquer fim; Veja nesta tabela do DIEESE uma amostra do que estou falando e entenderá do que estou falando. Afinal, não se tem a impressão de que as Leis servem para proteger a elite de nós? Pense nisso! 

 

Agenda & Eventos



Meu caro...

COLUNA MEU CARO

02-01-2015 10:08:30

Esta coluna consiste em continuar o diálogo que eu e o amigo Carlon Cruz vínhamos tendo nos últimos meses. De repente, em algum lugar do universo, alguém deve ter precisado de seus serviços com certa urgência e ele teve que ir.
Sua saudação MEU CARO vai dar título à coluna que, a partir deste momento, estará recebendo algumas atualizações assim que houver necessidade ou surgir um assunto. Respeitando nosso princípio de deixar a natureza trabalhar em nossas vidas, as palavras seguirão seu curso e não serão forçadas a sair, a se registrarem neste espaço, mas, assim que elas sentirem necessidade de vir à tona, assim será. Lembro que os textos não serão revisados, nem seguirão o padrão ABNT, podem não ter nem começo, que dirá fim. A intenção é que realmente pareça uma conversa informal, com interrupções, idas e voltas ao assunto... Um negócio desorganizado como tudo parece ser na natureza.

SEU ANIVERSÁRIO

09-09-2015 15:01:40

E hoje, como se sente, meu caro? Chegou agosto, um pouco diferente dos outros anos, pois foi o mês em que você encerrou suas atividades por aqui. O mundo desandou, meu caro. Poucos parecem ter se lembrado da data de 26 de agosto. Eu me lembrei e sempre vou estar por aqui pra gente bater um papo. Como ia dizendo, o mundo desandou. É gente querendo fugir da Síria e entrar em outros países como se a natureza e Deus tivessem feito cercas arame farpado para demarcr fronteiras, como se a espécie humana fossem várias espécies na mesma... Não entendo! O cara mora na Hungria ou na Síria e parece que são de origens diferentes, que o coração de um é do lado direito, do outro é do lado esquerdo... O mar infestado de tubarões, e a Terra também... O povo pegando um barco clandestino pra tentar a vida em outras paregens, enfrentando frio, tempestades, fome, e parece que quem está em terra firme é o dono de alguma coisa, sendo que terra e mar apenas se completam, se harmonizam!

Até quando, meu caro, esse povo vai achar que está no domínio de alguma coisa? Até quando vai pensar que rejeitar um refugiado vai lhe proteger das angústias da alma? Até quando vai pensar que isso vai lhe afastar do inferno de Dante? Ora, nomes inventados, apenas isso! Não existe, na prática, Hungria, Síria, Alemanha, Itália, Brasil... Sabe o que existe? Ganância! Afinal, tudo em sua essência é ilegal ou legal. Por quê? Repare! Para que alguém desse posse a outro foi preciso roubar da natureza que criou e gerencia tudo. Repare! Inventaram os títulos, as fronteiras, os idiomas, os costumes, simplesmente pra fazerem de conta que estão no poder, dominando um país ou um povo. No fundo, amigo, não faz diferença. Somos apenas humanos! Um húngaro que chuta um sírio é apenas um humano chutando outro humano. Quando vão perceber isso? Ganância, pura ganância!

E pro lado de cá a coisa não anda prestando também. Da semana passada até hoje duas grandes queimadas próximas à sede assustaram a população e provocou grandes prejuízos. Mas, até que as mentes mórbidas percebam que estão queimando sua própria pele ainda vai demorar. Lembra o quanto falamos disso? Agora estão todos aí criticando as autoridades, o Corpo de Bombeiros! Ah, corpo de bombeiros! Enquanto o município não promover um treinamento pro pessoal enfrentar esses problemas por aqui mesmo não haverá novidade. Creio que é uma causa de todos nós. Exemplo: se os pedreiros estiverem trabalhando ali na Praça do Mercado ou na Avenida de Acesso e acontecer um incêndio, todos esses serviços deveriam ser interrompidos e corrermos para resolver o problema porque é um problema que afeta a todos, ainda mais quando isso acontece do lado das nascentes como foram os dois últimos incêndios. Daqui até que chegue um caminhão ou helicóptero do bombeiros de Lençóis no mínimo, o fogo já alcançou o Zé Nunes, Riacho Frio, a Sede e olhe lá!

Nosso amigo Hildo também encerrou as atividades por aqui, moço!

Eu volto! Vou resolver umas coisinhas aqui, mas volto. A gente conversa mais!

HOMENAGEM?

02-01-2015 10:08:46

Hoje, meu caro, no final da tarde, estarei participando da colação de grau das turmas do Ensino Médio do Colégio Estadual Tiradentes, as quais deram seu nome. Estou pensando no que dizer a esta nossa geração cujo risco de haver um colapso de inteligência tem se tornado iminente. Homenagem? Ainda prestam homenagens apenas citando nomes? Estou pensando falar a respeito da incoerência ou das incoerências que afeta a todos. Imagine: prestar-lhe uma homenagem sem lhe conhecer e aos seus feitos? Convidaram-me, pela amizade que percebiam que existia entre nós, para dizer alguma coisa. Tenho me tornado um tremendo estraga-prazeres quando se trata de falar a pessoas. Lembra daqueles famosos "acabadores de festas" que, quando chegavam nos ambientes como clubes, latadas, e o povo já ficava de orelha em pé e comentava: "Nossa! Viu quem chegou aí? Essa festa não vai durar muito!". Era dito e feito. Não demorava e já se via a luz do candeeiro sentir o vento da mudança. O lampião de gás, situado num dos cantos da sala, também dava sinais de temor e o pau quebrava. Como diz nosso amigo Chico Buarque & Caetano: Pernadas 3/4 sem despentear tomava conta do recinto. Pois é, hoje me sinto assim. Até prefiro que não gravem minhas falas, pois, estou falando a verdade demais. Não consigo pegar um microfone e ficar falando bonito. Gosto de falar daquilo que provoca impacto. Afinal, o ser humano é incoerente em suas atitudes e palavras. O cara diz, por exemplo, que adora a família, mas coloca a molecada com mulher e tudo dentro de um veículo e some no mundo, enche a cara, passa o dia todo num churrasco, senta a uma mesa tomando bebida alcoólica às vezes até com criança de colo, ficam expostos a sons de Nn decibéis e ainda abre a boca pra dizer pra esposa "eu te amo". Repare, moço, outro sujeito entra no seu carro do ano, fecha os vidros e tudo que é placa que avista no caminho multipĺica por dois. Se sugerem velocidade de 80 km, ele faz questão de andar a 160 km; se sugerem 40, ele faz questão de andar a 80 e olhe lá. Fiquei observando neste final de ano, parado à beira da estrada, de cada dez veículos que passavam, onze estavam acima do limite de velocidade. Uns sujeitos desses ainda querem criticar as estradas, falar mal do governo, da inflação e queixar do salário-mínimo que passou a valer R$ 788,00. Veja! Pelo menos aqui em Brejnhos, os moleques pensam que as casas, as esquinas e as ladeiras são de vidro ou acrílico, pois, transpõem estas sem qualquer intenção de pararem seus veículos automotores ou até pedomotores. Pasme: falando novamente na questão da bebida, dias atrás um moço me pediu pra colocar a chave na ignição pra ele poder ir embora, pois a água tinha sido tão dura que não conseguiu achar o lugar de por a chave. Nossa senhora!
Então, o povo chega por esses palcos da vida e começa a elogiar os formandos, sem ter a coragem de dizer pra eles que ali no meio tem muita gente que deu trabalho de sobra aos professores, que gostava de cabular aula, que tinha falta aos montes e sequer dava um bom-dia ao porteiro na hora de entrar. Culpados? Não acredito! Aí vem gente dizendo, desejando um futuro melhor, de muito sucesso. É preciso dizer antes que o sujeito se conserte, tome vergonha na cara, que há incoerência em esperar um futuro melhor se você não faz nada no presente. O futuro é apenas cosequência.
Vou tentar sugerir ao pessoal que seja mais verdadeiro.
O homem não sabe ainda se é uma espécie divina ou humana, não sabe se é bondoso ou um monstro. Dá nome a tudo e sofre da maldição de fazer julgamentos, que talvez seja o pecado original, não mais aquele de comer do fruto proibido que muita gente ainda acha que era uma árvore lá no meio do jardim e que Adão e Eva não podiam comer nem tocar pois abrir-se-lhes-iam os olhos e seriam como deuses. O que não percebem que a árvore era do conhecimento do bem e do mal, ou seja, o homem não pode de forma alguma mastigar e engolir o conhecimento senão realmente vai querer saber mais que Deus, sem perceber que isso não é possível, mas lhe proporciona a ilusão de ser. O que aconteceu? O homem comeu do fruto proibido, isto é, engoliu o conhecimento e agora acha que é o Deus. Decide quem deve morrer e quem deve viver, decide quem deve ganhar mais ou ganhar menos, decide se mandar computadores para as escolas é bom ou ruim, decide quando integrantes pode ter o senado, as câmaras e quando de verba cada gabinete. E ainda diz que somos todos iguais perante a lei. Ué, se iguais, como é que a aposentadoria para um se dá em menos tempo do que para o outro? Como é que o salário de um é maior do que o outro? Como pode um ter Nn fazendas enquanto o outro mora na rua? Como pode construir arranha-céus enquanto outros fazem barracos de papelão e lona? Incoerência, maldita incoerência!
Se aqueles que acumularam riquezas resolvessem tomar apenas uma cerveja ao invés de uma caixa, se os filhinhos de papai resolvessem ter apenas três pares de sapatos: um para a escola, outro para a farra, outro para a missa/culto... Se as mulheres conseguissem ir a duas festas seguidas com a mesma roupa e mesma sandalia e mesmo penteado e mesma lingerie e mesma maquiagem... Se ao invés de uma cômoda lotada de perfumes, cremes, condicionadores, pulseiras, relógios, celulares, notebooks, PCs, apenas o necessário... Se ao invés dos latifúndios, minifúndios... Se ao invés de derrubar árvores, ou mesmo derrubando, plantassem... Se ao invés de arrastar pelas ruas equipamentos de som com valores absurdos - dizem que chegam a pagar até R$ 20.000,00 por um som desses brutos que aparecem por aí rebocados por carros de luxo - optássemos por uma caixinha amplificada e com o resto comprássemos de leite em pó, fraldas, remédios, ou guardássemos para a formação de nossos filhos, o mundo não seria outro?
Mas, a incoerência humana responderia: O dinheiro é meu, o carro é meu, o filho é meu, faço deles o que quiser.
O homem concentra riquezas, se fecha nos seus condomínios, anda com segurança e carros blindados e ainda põem a cara na mídia, prometendo ao povo que vai lutar contra a violência? Ele é o próprio responsável pela violência. Afinal, há violência maior do que a mãe negar leite a um filho por não ter mais uma colher no fundo da lata ou uma lata a mais na dispensa? Há violência maior do que um salário de 788 contos enquanto a própria lei aprovada por eles sugere um salário de no mínimo R$ 2.923,22, o que garantiria um padrão também mínimo de qualidade de vida?
Aos formandos de hoje quero dizer que é tempo de repensarmos as homenagens. Hoje tristes, amanhã no baile de formatura. Pensemos algo mais contundente. Que tal se passassem a dar o nome da turma: Crianças de Rua, Favelados, Hospitalizados, Sem-teto, Sem-terra, Sem-educação, Sem-família... Ou Amor, Paz, Prosperidade, Alegria... ou Mal-formados, Bem-formados, Fazedores de Intrigas, Resolvedores de Conflitos? No periodo dos últimos trinta dias do curso de Ensino Médio fizessem campanhas de visitas a comunidades, levantamento de quantos meninos aparecem no clube para catar as latinhas da bebida consumida no evento anterior, ou quantos óbitos ocorreram no ano ou no último mês e fossem visitar essas famílias, comunidades, grupos, entidades, empresas, e eleborassem projetos, relatórios, fizessem programas de rádio? Ou fossem passar um período no hospital, visitar a delegacia, ir ao Projeto Sapeca, associações de moradores, conhecer e entender mais da própria comunidade onde moram? Quem sabe se apresentarem em grupos nas empresas, levando colegas da zona rural, tentando arranjar oportunidades de emprego para aquales que não vão poder frequentar uma faculdade, que, pasmem, é a maioria?
De volta ao salário-mínimo, é claro que os governos jamais vão querer pagar um salário de R$ 3.000,00 ou mais, pois, a população ou boa parte dela, poderia pagar seu próprio remédio, sua TV por assinatura, o transporte escolar, o leite das crianças, o lanche do garoto da escola... E aí, o que fariam alguns políticos, seriam esquecidos? Ora, nem pensar! Como fariam para controlar essa população desordeira e mal-agradecida? Por falar nisso, você já viu algum projeto pelo menos apresentado por um legislador (vereador, deputado ou senador) que sugerisse receberem pelas horas trabalhadas ou mesmo não receberem salário? Existem países que isso acontece, a exemplo da Suécia. Uma escritora e jornalista brasileira radicada lá, Cláudia Wallin, lançou um livro em 2014 intitulado Um país sem excelências e mordomias, pela Geração Editorial, onde apresenta várias entrevistas com juízes, políticos, ativistas, jornalistas e cidadãos comuns sobre o sistema político desse país europeu que deixa qualquer brasileiro envergonhado.

Ia esquecendo de falar sobre o fato do homem dar nome a tudo, quando citei a questão do conhecimento. Reparou que o homem se nomeia a si mesmo como canibal apenas quando consome carne humana? Quer dizer que quando cevamos um porco para depois matá-lo, ou quando damos uma marretada na cabeça de um animal que criamos por tanto tempo, damos ração, e perdemos a razão quando o retalhamos e o pomos à mesa para consumir? Quero dizer que aí não somos canibais? O que o homem precisa é se decidir, se selvagem ou civilizado... Não dá pra ser a duas coisas. O homem não foi capaz nem mesmo de decidir se quer ser descendente do macaco ou do barro? Se ele foi criado antes ou depois dos outros animais?

Então, paremos com a hipocrisia, de achar que somos melhores do que os outros. Em muitos pontos, somos exatamente iguais, mas inventamos formas de fazer e de ser diferentes.

Lembrando novamente do problema da bebida, tem gente que vê um amigo passando na rua, de boa, e ainda grita: Ei, moço, vem cá! O que é que vai passando assim? Não quer sentar com a gente e tomar uma? Esse sujeito que chamou o outro ainda se considera amigo. Gente, não interfira na trajetória do outro. Deixe as pessoas seguirem seus trajetos. A natureza sabe o que está fazendo. Se fosse por uma coisa boa, agradável, tudo bem. Mas convidar um amigo para matá-lo? sim, matá-lo, pois, tomar bebida alcoólica, oferecer carne cheia de anabolizantes, vacinas, hormônios... é uma violência sem tamanho.

Meu caro, você sabia que nós também somos responsáveis pela sua ida? Pois é, estou percebendo que nós somos exterminadores do presente, um nome bem mais propício para aquele filme do Arnold Schwarzenegger - O Exterminador do Futuro. Rapaz, percebe que estamos dando veneno mesmo para aquelas pessoas a quem amamos? Dizemos amar o próximo, mas, muitas vezes somos proprietários de uma lavoura que, até para matar a erva chamada pelo homem de daninha, usamos veneno. Já viu que alguns chamam agrotóxico de defensivo agrícola? Bebemos restos de detergente nos talheres, pratos, panelas e afins mal-lavados por conta da crise hídrica, usamos veneno para pintar o cabelo, o qual deve escorrer pelos fios e entranhar no couro cabeludo. E ainda vem alguém dizer: isso não ofende, é totalmente confiável. Daqui a pouco, sabemos do crescimento de casos de câncer pelo mundo a fora, mas ninguém quer conviver com os cabelos brancos. E ainda há uns idiotas que pensam que meio ambiente é apenas fauna, flora e água. O que estamos falando é de equilíbrio. Há uns bananas que nem estudaram ainda a Lei da Gravitação Universal, de Isaac Newton. O homem tem que saber que, até mesmo uma barata que ele extermina, pode comprometer o equilíbrio do universo. Loucura? Que nada! Muitos nem sabem que a Terra viaja a uma velocidade média de 29,87 km/s. Ué, e como é que não percebemos? Outra idiotice nossa: afinal pra você perceber algo é necessário um referencial. Se você está indo junto, como é que vai perceber o movimento? Aliás, perguntem aos motoristas que, quando nos seus carros a 160 km/h, não notam que estão em alta velocidade. Só quando tem um mais afoito que arrisca abrir o vidro e ver o mundo passar como um foguete. Rapaz, e a inquietação do povo, principalmente feminino, pela aparência? Está se enchendo de silicone, piercings, tatuagens... Devem ter verdadeiros canyons internos a serem preenchidos. Não há nada que satisfaça. Apelam pra tudo: roupas, viagens, exposição na mídia, escândalos, e nada adianta. Buscam significados para suas vidas em algo que jamais vão conseguir encontrar. Bastaria que ouvissem a natureza e a respeitasse nas suas leis e sabedoria. Seria o bastante.

Homem, você tem reparado que no Brasil muitas vezes chamamos de Excelência àqueles que nos deveriam chamar assim? Afinal, quem acha que merece esse título: aquelas pessoas que trabalham 44 horas semanais ou mais ou aquelas que têm 1/4 dessa carga horária e olhe lá e ganha centenas de vezes mais? Para mim, Excelência é quem sustenta o país com seu esforço e suor.

Esse trem continua... Aguarde!

Imagens

GALERIA MULTIMEDIAcamera

Eventos - Notícias - Ocorrências

BANDA SEU LUIZ - SOM DE BARZINHO

No Recando do Chef - 07/04/2018


SÃO PEDRO 2017 - 02/07/2017 - FORRÓ DO BREJO v1

logo brejinhosnet

SÃO PEDRO 2017 - 01/07/2017 - SSAGUA

Nesta galeria, o Portal BrejinhosNet tem a valiosa colaboração do Fotógrafo Nielson, a quem nós agradecemos em nome da comunidade brejinhense.

Esta mesma Galeria também está disponível no Flickr - Grupo Jatobá.

::

 

logo brejinhosnet

By Adriano Rocha


TRABALHOS DE CARLON CASTRO CRUZ EM EXPOSIÇÃO NO MEMORIAL DA PRAÇA JOÃO NERY DE SANTANA

COMEMORAÇÃO DO FERIADO RELIGIOSO DE CORPUS CHRISTI - VERSÃO 2017

FORRÓ ROOTS DA PEROBEIRA

 PASSAGEM DO SAC MÓVEL POR OLIVEIRA DOS BREJINHOS - VERSÃO 2017

 

PRÉVIA DO SÃO PEDRO 2017 - ATUALIZAÇÃO: 26/06/2017, ÀS 19h07

 

 

 

 

PARA REFLETIR

Coloque também no seu site -Frases Conselho
Créditos:
Frases de Vida

BNET NAS REDES

BNET NA REDE (+)

Compartilhe!

Submit to DeliciousSubmit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Eventos

loader

FAÇA O LOGIN

PESSOAS ON-LINE

Temos 65 visitantes e Nenhum membro online

Alternative flash content

Requirements